Como se aprende brincando?

Exploremos: 5 amigos resolvem brincar de Rei Arthur. Há somente um predestinado, cujo destino é tão raro e impressionante que merece nomear a história. E outros 4 cavaleiros.

Para não terminar em peleja e ser sinceramente divertido, os 5 destemidos atores terão sociabilizado, cooperado, liderado e desenvolvido perspectiva temporal. Afinal, se não fui o rei dessa vez, na próxima o super-homem serei eu, combinado? Ah, terão barganhado, oops, negociado também.

Pronunciarão palavras como tábula, saxões, mago. Que é um mágico mais sábio, concluirá a criança. Um mágico mais antigo. Um mágico em um contexto histórico diferente. E assim, construirão algo que nós pais compreendemos, valorizamos e não vemos como “somente” uma brincadeira: construirão vocabulário.

Se ainda quiserem saber que coisa estranha são estes tais saxões, ouvirão sobre Inglaterra em um continente chamado Europa.

- este texto foi baseado em exemplos dados pela pesquisadora e profa. em desenvolvimento infantil Kathy Hirsch-Pasek, entusiasta pela introdução de mais brincadeiras no currículo acadêmico.


Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados